9.1.10

Rio & Geografia: Os sub-bairros (Parte 3/3)



Esclarecendo a Ilha do Governador e Jacarepaguá
A Ilha e Jacarepaguá são outras duas regiões muito complexas. A Ilha do Governador nada mais é do que uma região administrativa (termo a ser explorado posteriormente aqui n’As Ruas do Rio) e que abriga bairros legítimos como o Jardim Guanabara, Galeão, Portuguesa, Bancários, entre outros.

O mesmo caso é Jacarepaguá, que também é uma região administrativa e, ao mesmo tempo, também é um bairro, pois é delimitado oficialmente nas representações cartográficas da Prefeitura. No entanto, tal delimitação compreende poucas áreas urbanas, como a que está ao redor do Autódromo de Jacarepaguá e a comunidade de Rio das Pedras, e muitas áreas rochosas e florestadas, como a dos parques Estadual da Pedra Branca e o Nacional da Tijuca. Logo, Freguesia, Taquara, Anil, Cidade de Deus, Pechincha, também são bairros legítimos, que se situam ao redor de Jacarepaguá, e por isso nomeamos esta área de região de Jacarepaguá, embora seja errado dizer que tais bairros citados sejam sub-bairros do mesmo.


REPRODUÇÃO do mapa oficial do Instituto Pereira Passos com os devidos topônimos: o bairro de Jacarepaguá e os bairros da Freguesia, Praça Seca, Tanque, Taquara, Anil, entre outros, representados como bairros legítimos.


Feudos ou sub-bairros na Barra da Tijuca?
A Barra da Tijuca é um dos lugares mais interessantes de se estudar quando se trata de geografia carioca. De urbanização recente e diferenciada do resto do Rio de Janeiro, a Barra cresce em torno de grandiosos condomínios fechados, fazendo gerar uma nova modalidade de sub-bairros em estilo quase feudal e com acesso limitado. São eles: Barramares, Novo Leblon, Santa Mônica Jardins (imagem ao lado), Península, entre outros. Além deles, estão vindo por aí o Cidade Jardim e o Alphaville carioca.

Fora destes patamares, a Barra da Tijuca também possui sub-bairros comuns, como o – mais famoso de todos – Jardim Oceânico, nas intermediações da Praça Professor José Bernardino e São Perpétuo; o Tijucamar, na região da Avenida Olegário Maciel; e a Barrinha, a parte mais antiga do bairro, nos arredores da Praça Desembargador Araújo Jorge.

A grandiosidade da Zona Oeste
A região mais óbvia de se existirem sub-bairros é a Zona Oeste – afinal, é a zona mais extensa do munícipio do Rio. Alguns bairros são verdadeiras cidades de tão grandes que são, com direito a um Centro e a dezenas de sub-bairros. Só em Campo Grande, existem uma média de setenta sub-bairros, como o Adriana, Diana, Novo Horizonte, Oiticica e Vila Rudicéa. Em Bangu, tem-se os sub-bairros de Jabour, Vila Kennedy, Catiri e Guilherme da Silveira. Em Realengo, um exemplo famoso é o do sub-bairro Mallet.

Favelas e comunidades carentes que tornaram-se sub-bairros (e até bairros!)
Em uma cidade onde é grande o indíce de favelização, muitos locais conseguiram sua emancipação graças à sua proporcionalidade e/ou fama – muitas das vezes, ruim. Exemplos de favelas e comunidades carentes que tornaram-se sub-bairros são o Rio das Pedras, em Jacarepaguá; o Jardim Batan, em Realengo; a Vila Vintém, em Padre Miguel; a Cruzada São Sebastião (foto ao lado), no Leblon; Tavares Bastos, no Catete; Jacarezinho, no Jacaré, entre outros.

Algumas tornaram-se bairros legítimos, como é o caso da Rocinha e do Vidigal, ambas na Zona Sul, e os complexos do Alemão e da Maré, no subúrbio carioca.


Fontes:
Foto Cruzada São Sebastião - http://oglobo.globo.com/rio/fotogaleria/2008/6002/17_ghg_rio_cruzada005.jpg
Foto Santa Mônica Jardins - http://www.lopes.com.br/multimidia/images/novos/1-NI-961/Santa_Monica_Jardins_Implantacao_imp.jpg

10 comentários:

Pablo disse...

Sempre visito o blog, pois sou gaúcho e moro no RJ a algum tempo. Como um turista vivente da cidade adoro conhecer a cidade maravilhosa graças aos passeios virtuais que encontro no seu blog e depois coloco em prática nas andanças pelas ruas. Agora preciso dar o braço a torcer. Qdo vinha para o RJ em 2003 eu morava na Freguesia e TODO MUNDO me dizia q era um sub bairro de Jacarépagua. Adotei a alcunha do pessoal e, até hoje, batia pé dizendo que era um sub bairro. Bom saber que estive errado este tempo todo. Abração e sucesso!

Pedro Paulo Bastos disse...

Pablo,
a geografia carioca É muito complicada mesmo! Eu só procurei pesquisar informações a respeito do que é sub-bairro ou não porque eu me interesso bastante pelo assunto! Se eu não gostasse do tema, eu também diria, com toda a certeza do mundo, que a Freguesia é um sub-bairro de Jacarepaguá. Na vulgaridade continuará sendo, né, é difícil nos desfazermos das nossas crenças, mas agora, em realidade, tá aqui comprovado que é um bairro legítimo!
Um abraço e obrigado por sempre visitar o blog!

Pedro Paulo Bastos disse...

Pablo,
a geografia carioca É muito complicada mesmo! Eu só procurei pesquisar informações a respeito do que é sub-bairro ou não porque eu me interesso bastante pelo assunto! Se eu não gostasse do tema, eu também diria, com toda a certeza do mundo, que a Freguesia é um sub-bairro de Jacarepaguá. Na vulgaridade continuará sendo, né, é difícil nos desfazermos das nossas crenças, mas agora, em realidade, tá aqui comprovado que é um bairro legítimo!
Um abraço e obrigado por sempre visitar o blog!

Cris disse...

Vc tem noção do tamanho da maré? Aquilo é gigante e tem gente pra k7!!! Daquia pouco vira um sub-estado kkkk

Aliás, deixa eu ficar quieta, pq se alguém lê isso e pensa q pode ter mais verbas e poder com esse novo título, vai querer logo implementar a idéia kkkkkkkkk

Olha, pq vc não faz umas pesquisas e observações da geografia aí e compara pra gente?

bjs

Prof. Adinalzir disse...

Olá, Pedro

Moro em Campo Grande, no sub-bairro de Santa Margarida, que tem esse nome por causa do Barão de Sta. Margarida que por lá morou na época dos antigos laranjais. É considerado o maior de todos os sub-bairros dessa região da cidade.

Parabéns pelo blog! Seus textos são muito precisos e esclarecedores. A partir de agora sou um seguidor.

Abraços, :-)

Michel disse...

Outro bairro que contem vários sub-bairros é a Pavuna. Dos que me lembro agora: Conjunto Rubens Paiva, Village e Parque Columbia (?).

Nuno disse...

Curiosamente, tanto a Ilha quanto Jacarepaguá possuem um bairro chamado Freguesia, e isso gera talvez a maior confusao para a cabeça dos cariocas.
Na Tijuca por exemplo, passa a linha de ônibus 634, que vai para a Freguesia da Ilha, e a linha 636, que vai para a Freguesia de JPA, já teve gente me perguntando qual das duas ia mais rápido, pensando que era o mesmo bairro...

Abraços!

Anônimo disse...

Bem como voce disse, Campo Grande não só pode ser considerada uma cidade como de fató é.

"Em 1968, o então governador do estado da Guanabara, Francisco Negrão de Lima, promulgou a Lei 1627/68 reconhecendo a localidade de Campo Grande como cidade:
Lei número 1.627, de 14 de junho de 1968, projeto do deputado Frederico Trotta. O governo do estado da Guanabara, faço saber, que a assembléia legislativa do estado da Guanabara aprovou o projeto de lei número:181 de 1967 e eu promulgo, de acordo com o artigo 26, 3°, da constituição do estado, a seguinte lei: Art. 1° - É reconhecida como "Cidade" a localidade de Campo Grande, passando a denominar-se Cidade de Campo Grande. Art. 2° - Esta Lei entrará em vigor, na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Rio de Janeiro, 14 de Junho de 1968 - 80° da república e 9° do estado da Guanabara. Francisco Negrão de Lima, Álvaro Americano, Arnaldo Salgado Mascarenhas, Gonzaga da Gama Filho, Althemar Dutra de Castilho, Humberto Braga, Cotrin Neto, Raymundo de Paula Soares, Hildebrando Monteiro Marinho, Luiz de França Oliveira, Augusto do Amaral Peixoto, Dirceu de Oliveira e Silva, Victor de Oliveira Pinheiro e Lecy Neves."

E são sub-bairros são 69.

Abraço

Carlos Eduardo Nascimento Gomes disse...

Pablo, o que acontece é que, sim, a Freguesia sempre foi sub-bairro de Jacarepaguá. Há pouco tempo virou bairro pra valer.

Carlos Eduardo Nascimento Gomes disse...

Santa Cruz, bairro onde moro tem dezenas de sub-bairros. Assim que a especulação imobiliária chegar até aqui, eles começarão a virar bairros próprios, assim como aconteceu com Paciência, que já foi parte de Santa Cruz.