1.1.10

Rio & Geografia: Os sub-bairros (Parte 1/3)



Eu não sou nenhum especialista em Rio de Janeiro. Entretanto, desde moleque venho tentando desvendar muitas informações à respeito da geografia desta nossa grande cidade grande, e não foi à toa que muitos amigos paravam-me e perguntavam-me, tendo em vista o meu interesse no assunto: que diacho são os sub-bairros? Lapa é bairro? O Leme é sub-bairro de Copacabana?

O.K., há de se afirmar que convivemos com o fato de que muitos cariocas ignoram a geografia da sua cidade – seja ele jovem ou adulto. Todavia, também é inegável que tal geografia às vezes pode nos parecer um tanto quanto confusa; logo, difícil de compreender. Diferentemente da cidade de São Paulo, por exemplo, que possui diversos sub-bairros dentro de seus bairros, aqui no Rio essa quantidade é pouca, dependendo da região, e bastante alta em outras, onde existe essa necessidade de repartir o bairro em diferentes pedaços, seja pela sua extensão territorial ou pela identidade cultural que os diferencia.


MAPA OFICIAL da divisão de bairros cariocas. Os locais apresentados são bairros legítimos, enquanto os sub-bairros não estão aparentes. Tente, por exemplo, localizar o topônimo "Lapa"; verá que não é possível, pois a Lapa é um sub-bairro inserido no bairro do Centro, este sim representado no mapa acima.


Então, para irmos right to the point, os sub-bairros são aqueles que, por exemplo, quando analisados em um mapa com as divisões por bairros, não aparecem ou não são delimitados cartograficamente. Um exemplo bem famoso é o da Lapa, já citado no início deste post: ele não aparece representado no mapa, pois é um sub-bairro do Centro, ou seja, uma pequena região deste bairro conhecido por Lapa. O topônimo (significa nome próprio para os lugares) Lapa pode, em geral, aparecer em representações cartográficas mais detalhadas, como os mapas de ruas, ou então em mapas ilustrativos, que não possuem escala e que estão mais focados na importância regional do lugar do que em seus limites legais. Os sub-bairros não possuem uma delimitação territorial específica, mas englobam um conjunto de ruas, avenidas e/ou praças que passa a ser conhecido como lugar X.

A verdade é que hoje os sub-bairros vêm passando por modificações à medida que os anos passam. Alguns vão sendo esquecidos, tendo em vista que eram reconhecidos devido a algum tipo de referência histórica e/ou geográfica não mais existente, enquanto outros estão sendo cada vez mais reconhecidos e potencializados em importância, como é o caso de certas regiões da Zona Oeste.

Veremos algumas exemplificações detalhadas de cada região nos próximos posts. Este é o primeiro de três.

3 comentários:

Cris disse...

Ótimo post.
Eu mal sei a diferença (zuando) entre estado, cidade e município, este último sempre foi um grande mistério pra mim hahaha.

Depois q vim pra Portugal, tudo piorou, aqui é tudo diferente! (cidade, freguesia, concelho, localidade...)

E qd eu vou em um orgão e me perguntam "qual a sua freguesia? qual a localidade?" kkkkk Sei lá, minha filha hehe

bjao

Michel disse...

Um exemplo de sub-bairro próximo ao meu é o Bairro Araujo, situado dentro de Vista Alegre. Uma região pequena, delimitada por três ruas: Manoel de Araujo, Itapera e Hanibal Porto.

Suel Fruvasc disse...

Mais um blog pra minha lista de blogs a devorar. Compartilhamos o amor e curiosidade pelas cidades. Parabéns pela iniciativa, Pedro.
Abraços!