24.10.09

"Caminito" carioca ou rua dos abricós-de-macaco?


A ENTRADA da Rua Visconde de Caravelas pela Rua Real Grandeza, no bairro de Botafogo. As casas coloridas, como as da fotografia, nos remetem à região do Caminito, na capital argentina.

O tempo no Rio anda tão estranho que chega a ser difícil definir em que estação estamos, se sentimos calor ou não, se sentimos frio ou não. Um dia, chuva; no outro, o sol aparece e dá alegria aos praieiros, que se desanimam rapidamente ao notar que o céu, mais uma vez, se acinzentou, enquanto o Cristo tenta se dar por percebido em meio as nuvens que o cobrem. Assim tem sido nos últimos meses, e não foi diferente ontem, quinta-feira, quando eu fui para a Rua Visconde de Caravelas, na Zona Sul, trazer as fotos para o post de hoje. Com guarda-chuva na mão e a máquina em outra, eu percorri toda essa arborizada rua, que começa no burburinho da Rua Real Grandeza, em Botafogo, e termina lá nos fundos da Casa de Saúde São José, já no bairro do Humaitá. Preparado? Então acompanhe-me!


REPRESENTAÇÃO cartográfica da Rua Visconde de Caravelas e o seu entorno.*


Já na entrada da Visconde de Caravelas, na sua ponta em Botafogo, pode-se notar, de cara, a arquitetura predominante da via, formada por muitos sobrados e casas. Em geral, esses sobrados centenários, hoje, estão ocupados por estabelecimentos comerciais e suas fachadas pintadas por cores fortes e vivas, muito semelhantes àquelas do Caminito, em Buenos Aires. Exemplos desses, no início da rua, é a filial da farmácia de homeopatia Caminhoá (foto ao lado), ocupada em uma casa antiga, em azul-ciano, e o bistrô e café Creme Caramelo, em um sobrado de cor grená, com detalhes em branco. Um toque simples e sofisticado, que revigora o fôlego destes imóveis, cada vez mais ofuscados pela arquitetura moderna, com seus edifícios gigantes e espelhados.


OS SOBRADOS e casas da Visconde de Caravelas e as diferentes tonalidades que dão vida às fachadas.



VILAS e casas charmosas fazem parte da rua, em toda a sua extensão.


E os abricós-de-macaco? Para quem não sabe, os abricós-de-macaco são um tipo de árvore bastante chamativas pela sua floração, que dão diretamente nos troncos (foto ao lado). São flores vermelhinhas, ou rosas, bem iguais àquelas de desenho animado, com pétalas bem definidas e desenhadas em torno de uma cápsula globosa (ou cannon ball tree, de acordo com o Jardineiro.net). A flor do abricó é bonita, porém ordinária: quando apodrecidas, exalam um odor não muito agradável, e suas sementes podem chegar a pesar até 3 quilos, prejudicando o capô de muitos carros estacionados na via quando em queda. Essa árvore está disposta em todo o percurso da rua, disputando com as cores vivas dos sobrados e casas qual dos dois mais simboliza a identidade da Visconde de Caravelas.


A CALÇADA pintada com o jogo da amarelinha fica bem na porta do Centro Educacional Acalanto, voltada para o ensino infantil.


Seria injusto falar somente das casas na Rua Visconde de Caravelas; os edifícios também estão presentes por ali - alguns antigos bonitinhos (foto à esquerda), outros mais simples e, claro, aqueles mais modernosos, com varandas e jardins amplos. A grande verdade é que a rua, apesar da sua aparente calmaria e baixo tráfego de automóveis, engana e muito em relação ao seu caráter: residencial ou comercial? Um misto. De tudo um pouco tem por ali: colégios, como o Centro Educacional Acalanto (fotos acima) – voltada para o ensino infantil, em uma casa antiga de rosa impecável e calçada de amarelinha – e a escola-americana Our Lady Of Mercy School; clínicas odontológicas, e uma casa de festas, a Caravelas Eventos. Entretanto, o grande atrativo comercial é a gastronomia. Mas isso é tema para outro parágrafo!


MAIS DOS estilos de casas e edifícios que existem na Rua Visconde de Caravelas.


A Rua Visconde de Caravelas (junto da Rua Conde de Irajá, que a corta) foi designada como Pólo Gastronômico de Botafogo pois ali se concentram alguns dos principais restaurantes novos e badaladíssimos da Zona Sul, que a toda hora pipocam nas colunas sociais e de crítica. É ali onde estão, além do já citado Creme Caramelo, o restaurante e pizzaria Espaço da Gula; o I Piatti, especializado na cozinha japonesa (foto ao lado), e o Bar do Belmiro, o típico pé-sujo não tão sujo assim, famoso pela sua feijoada e pelas comidas de botequim. Todos esses estão ocupados em casas antigas da rua, ali pelo cruzamento com a Rua Conde de Irajá, junto de outras casas residenciais também bastante charmosas.


PANORAMA do cruzamento da Visconde de Caravelas com a Rua Conde de Irajá, com o Bar do Belmiro em destaque.


A PLACA DO Pólo Gastronômico de Botafogo na esquina com a Rua Conde de Irajá. Dali em diante, a Visconde de Caravelas passa a pertencer ao bairro do Humaitá.


O TRECHO entre as ruas Conde de Irajá e Capitão Salomão: tronco florido pela flor do abricó-de-macaco; o panorama da Rua Visconde de Caravelas, e, ao lado, a visão do Corcovado e do Cristo Redentor.


Após a Conde de Irajá, a Rua Visconde de Caravelas passa a pertencer ao bairro do Humaitá. Neste trecho, as casas e sobrados são menores e menos arrumadas e estão entre alguns prédios altos e pomposos. Entretanto, é novamente no cruzamento, agora com a Rua Capitão Salomão, onde estão outras referências gastronômicas da região: por ordem, a Eccellenza Pizzaria, sofisticada, no seu sobrado cor de abóbora com tijolos; uma filial do botequim Informal, já comentado aqui n’As Ruas do Rio; os restaurantes Caravela do Visconde e o Aurora (à esquerda), um do ladinho do outro, e o bar Plebeu (à direita), já na outra calçada, badaladíssimo, instalado em uma casa de cor amarelo-ovo de bastante imponência. Adianto-me a dizer que lá mais para o final estão outros dois restaurantes queridinhos do circuito gastronômico: o No Mangue - Frutos do Mar e o Botequim, em imóveis, óbvios, pouco discretos. Antes de seguir, peço perdão se fui cansativo enumerando a todos os estabelecimentos da Visconde – a questão é que eles são a alma desta região, e seria injusto não citá-los um por um... O estômago agradece!


O CRUZAMENTO da Visconde com a Rua Capitão Salomão, com destaque para o Botequim Informal, na primeira foto.



A RAÍZ DE UMAS das árvores da Visconde emerge, e as pedras portuguesas se descolam; mais uma da série de casas charmosas; e os restaurantes No Mangue e Botequim.


A VISCONDE DE Caravelas é sem saída. As imagens correspondem ao seu final: à esquerda, a foto registra a entrada de funcionários da Casa de Saúde São José; à direita, prédios, e o Cristo, escondido.

O trecho final da Rua Visconde de Caravelas corresponde à quadra que compreende as ruas Capitão Salomão e General Dionísio. A partir desta última, a Visconde de Caravelas passa a ser sem saída. Bom ou ruim? Acho que bom! Não sei como anda a segurança nessa área; só o que posso afirmar é que o trecho da via que corresponde ao Humaitá é mais elitizado e ainda mais arborizado. As casas, no entanto, continuam bonitas e bem-cuidadas (na foto ao lado, a casa corresponde à Associação das Antigas Alunas de Sion); os sobrados mantêm suas cores vivas e cativantes; as flores dos abricós se intensificam em quantidade mais do que nunca; os edifícios dão o ar de sua graça, ofuscando o clima simpático de subúrbio da área; e o Corcovado e o Cristo Redentor ali próximos, disponível aos olhos a qualquer virada de pescoço. Lugarzinho bom, não?

---

* O Carême Bistrô, indicado no mapa do início do post, fechou suas portas em meados do ano de 2009.

10 comentários:

Glória Müller disse...

Que delícia Pedro, pois vc esteve aqui pertinho de casa. Que legal!
Muito bom o seu trabalho.
Quanto ao Humaitá(meu bairro!),não deixe, se puder, de focar em algumas ruas que são super especiais, como: David Campista, Mário Pederneiras, esta infelizmente, já perdeu muito do seu charme. Pois muitos prédios foram construídos no lugar de algumas antigas e charmosas casas. Uma pena! Mas, temos ainda: Rua Icatú( linda), João Afonso( com uma vila super diferente!), Viúva Lacerda( com casas ainda tombadas, muito legal!)e a grande "Miguel Pereira"( meu sonho de consumo!rss)----->>> um vedadeiro CHAAARME!!!, pois é composta por prediozinhos antigos e casas charmosíssimas, é uma graça. Vale conferir também!
Beijos
Glória

Pedro Paulo Bastos disse...

Glória, valeu pela força.
O Humaitá é um dos meus bairros preferidos no Rio, e eu adoro a Rua Desembargador Burle, ali bem pertinho, também, da Visconde de Caravelas. Suas sugestões estão mais do que anotadas!
Um abraço!

Jaime Fernando de Souza disse...

Nasci neste gostoso bairro de botafogo e frequentei muito, os restaurantes Aurora, e Plebeu, nos anos 80, onde se comia muito bem, e se botava o papo em dia!
Boas lembranças do Aurora, antes e depois do incêndio que ocorreu, mas nunca deixando de ter seu charme.
Parabéns Pedro, pela bela matéria.
Abraços,
Jaime Fernando

Michel disse...

Opa, boa tarde! Gosto bastante desse blog. Sempre que posso visito. Gostaria de sugerir que fizesse uma visita ao bairro de Irajá e Vista Alegre. Ambos tem uma grande história e são locais tranquilos de se fotografar.

Um abraço

Ivo Korytowski disse...

So a picanha do Aurora já é um bom pretexto para uma visita a essa aprazível rua de Botafogo.

Beatriz Fontes disse...

Acho que nunca tive a oportunidade de caminhar pela Visconde de Caravelas. Muito menos durante o dia. Todas as vezes em que estive por ali procurava algum lugar para beber com os amigos e só. Por isso, devo dizer que adorei as fotos, que me deram uma nova imagem daquele lugar. Por incrível que pareça, nunca prestei muita atenção aos abricós-de-macaco, até outro dia, quando fui visitar o MAM. Lá está cheio deles... E lembro que a primeira impressão que tive foi de que as flores pareciam coisa de desenho animado! Fiquei uns bons minutos olhando para aquelas árvores estranhas, intrigada. Agora já me acostumei... Descobri que eles são mais comuns do que minha singela ignorância imaginava. :-)

Bruno Ribeiro disse...

Seu trabalho é muito importante, Paulo. Continue! Eu, como carioca vivendo longe da cidade, agradeço comovido.

Cris disse...

Essas ruazinhas são uma graça e dão uma leveza ao bairro. Tb tem algo do gênero em copa. A gente sai daquela agitação habitual desses 2 bairros.

Samila Soares disse...

Só falta um casal de bailarinos de tango acompanhados de um "Bandoleon". Lindas fotos.Sds.

AnneBC disse...

Pedro,
cheguei ao teu blog pq tirava uma duvida entre dois Rubens da Gávea, o major Rubens Vaz e o Rubens Bernardo, a do Planetário.
E cheguei nesse teu post. Adoro a Desem. Burle e a Visc Caravelas. Acho lindas as casinhas coloridas, sua brincadeira com o Caminito é bem feliz...
Fiz umas fotos por lá num domingo cedinho e não tinha viva alma... Gosto de fotografar as casas dessa região. Tantos prédios construindo, pelo menos sobram as recordações nas fotos, né?
Excelente esse teu trabalho/hobby registrando e mostrando os diversos recantos do Rio. Parabéns !!
Virou favorito !! :o)
abs
Anne