17.8.09

Barão da Taquara: a "Praça Seca" de Jacarepaguá

Praça Barão da Taquara
Praça Barão da Taquara, mais conhecida como Praça Seca, na Zona Oeste do Rio

Nesses dois meses já de existência do blog “As Ruas do Rio”, as ruas fotografadas se limitaram, até então, às das zonas Sul, Norte e Central. Entretanto, para o post de hoje, trago fotos, pela primeira vez, da Zona Oeste do Rio, mais especificamente do bairro da Praça Seca, na região de Jacarepaguá. Por curiosidade, o nome original da praça é Barão da Taquara, mas devido ao nome do bairro, que se chama Praça Seca, este logradouro acabou sendo chamado popularmente de tal forma. E por que Praça “Seca”? Na verdade, o “Seca” do nome provém do nobre Visconde de Asseca, que colaborou bastante para a urbanização desta área da cidade. O “Asseca” acabou convertendo-se em “Seca” após muitas reduções e simplificações do nome desta região, que se chamava Largo do Visconde de Asseca, tornando-se Largo do Asseca, mudando para Largo d’Asseca, até chegar ao que é hoje.

Cândido Benício

Do ponto de vista geográfico, a Praça Seca (ou Barão da Taquara; chamarei de Seca, para facilitar a leitura) é cortada ao meio pela Rua Cândido Benício (foto ao lado), uma das principais vias de ligação entre as regiões de Jacarepaguá e Madureira, com trânsito bastante movimentado e, principalmente, comercial, neste trecho. Assim, a Praça Seca acaba sendo fatiada em duas partes, o que se pode deduzir que sejam duas praças, embora levem o mesmo nome. A Praça Seca também é contornada pelas ruas Barão e Baronesa, sendo esta última uma rua mais tranqüila, porém de igual importância à Cândido Benício, já que recebe o fluxo de trânsito originário do bairro de Vila Valqueire.

Mapa
Para acompanhar a leitura do texto, guie-se pelos números e setas representadas no mapa acima.


1 - Como já comentado no parágrafo acima, a característica principal da Praça Seca é o comércio. Lojas de todos os tipos imagináveis convivem com o ruído de buzinas, freadas de ônibus e dos Praça Seca famosos carros de som. Um anuncia a promoção na venda de comésticos em uma loja próxima, enquanto outro divulga a programação das próximas apresentações de uma casa de espetáculos da Zona Norte. Trânsito intenso, fechamento de semáforos, pedestres correm para atravessar a larga rua e motoristas disputam vagas com as kombis na calçada, em especial nas esquinas das ruas Cândido Benício e Baronesa, onde há uma filial das Drogarias Pacheco (ao lado), bem grande e ampla.

Praça Seca

Amontoado comercial na Rua Baronesa


Ainda neste trecho da Rua Baronesa, o comércio faz jus ao seu caráter diversificado. Em uma mesma calçada convivem uma perfumaria, uma pet-shop e ao lado, uma espécie de edifício comercial, bastante depredado pelas pichações, onde há uma auto-escola – a Chapeuzinho Vermelho – além de uma loja de fotocópias e clínicas médicas.


Algumas das árvores presentes na Praça Seca. Fotografei as que considerei mais destacadas...


Embora a luz solar penetre forte e intensamente, o território da praça é bem servido por árvores e jardins bastante bonitos. Aliás, mais uma vez as árvores continuam sendo os pontos altos das ruas em que eu fotografo, creio que sem elas a cidade não seria o que é, e, repetindo novamente, lamento por não manjar muito de botânica, pois poderia me alongar mais na descrição do verde presente na Praça Seca; como não o sou, mantenho-me apenas a admirá-las e fotografá-las As espécies de árvores não são muito variadas nesta área, embora em um passo e outro é possível surpreender-se com a coloração das folhas de uma, ou então com as flores de outra e, até mesmo, com o pinheiro instalado no terreno da Igreja Batista de Barão da Taquara (foto ao lado). É bom de se ver!

Entre as árvores e vastos gramados, a Praça Seca, neste parte, conta ainda com um playground de conservação duvidosa – assim de como muitas outras áreas de lazer do Rio –, além de bancos e mesinhas ao redor do Coreto, bem no centro da Praça e bastante semelhante ao famoso Coreto do Jardim do Méier, na Zona Norte. O Coreto da Praça Seca foi construído em 1928, tombado pelo INEPAC (Instituto Estadual do Patrimônio Histórico) em 1985 e restaurado em 1992, sem grandes modificações na sua aparência. Ademais, neste mesmo espaço, funciona também a Feira de Artesanato de Jacarepaguá, com muitas barraquinhas de produtos artesanais, tecidos, bolsas e flores (foto acima).


1. Coreto da Praça Seca | 2. Parte do playground: a conservação deixa a desejar, porém os brinquedos ainda continuam "usáveis"


Trânsito engarrafado na Praça Seca

Um dos principais pontos de observação nesta parte da Praça é de como o trânsito flui mal; muitos automóveis e ônibus precisam contornar a praça e seguir pela esquerda da Rua Barão para se fazer o retorno de mudança de pista e esta acaba se tornando uma árdua tarefa na Praça Seca. O engarrafamento é certo, seja qual for a hora do dia.


1. Detalhe de edifício residencial na Praça Seca | 2. Loja da Nextel através de uma árvore


Ainda neste pedaço da Rua Barão, o comércio de maior atração é a Pizzaria e Chopperia Sorvetão Gourmet, restaurante de grande porte, bem na esquina com a Rua Cândido Benício. Outros serviços importantes nesta área é a filial do Banco do Brasil, situado em um imóvel bastante simpático e arborizado, na esquina da Praça com a Rua Baronesa; o prédio onde funciona a rede de telefonia Nextel, além da Escola Municipal Honduras.


1. Filial do Banco do Brasil, na Praça Seca esquina com Rua Baronesa | 2. Detalhe da fachada Pizzaria e Chopperia Sorvetão Gourmet com o semáforo e a placa de trânsito


1. Ônibus na Rua Cândido Benício, sentido Taquara/Barra | 2. Floricultura na Praça Seca


Açougue Barão

2 – Atravessando a rua e indo para a outra “fatia” da Praça Seca, a Rua Barão mantém o mesmo aspecto comercial variado da Rua Baronesa, instalados em imóveis, também, muito deteriorados e depredados, como o do Açougue Barão (foto à direita). Sendas, antigo Cine IpirangaNa esquina da Barão com a Praça Seca existe uma filial da rede de supermercados Sendas (à esquerda) onde antigamente funcionava o Cine Ipiranga, um dos muitos cinemas de rua demolidos na década de 70. Nesta mesma calçada, há ainda uma outra escola municipal, a Dom Armando Lombardi, além de bancos, como o HSBC e a Caixa Econômica Federal. É ali também que funciona a Sede da XVI Região Administrativa de Jacarepaguá, no número 9 da Praça Seca, com o oferecimento de diversos serviços como carteiras de identidade, de trabalho, alistamento militar, etc., à população de Jacarepaguá.

No interior desta parte da praça é possível notar que o mobiliário urbano é um pouco menos conservado do que a do outro lado da rua. Com jardineiras, bancos – com pessoas ao descanso neles (à direita)– e mais árvores do que o Descansooutro lado, existe também, dentro de um contorno bem desenhado em um nível mais alto da praça, um equipamento de ferro com esguichos que, ligados, põem a funcionar uma espécie de chafariz (à esquerda, na foto) e que suponho ser muito bonito se estivesse ligado no momento em que eu fotografei. Há também, de um lado, o núcleo idoso da praça, com o jogo de cartas diário nas mesinhas de cimento sob a sombra de plantas trepadeiras, e do outro, um monumento greco-romano, no topo de um cone de cimento dentro de um canteiro de plantas.


Estátua greco-romana



1. Idosos jogam cartas sob a sombra de plantas | 2. Panorama da Praça Seca


1. Sede da XVI Região Administrativa de Jacarepaguá | 2. Filial do HSBC e a escola municipal Dom Armando Lombardi


De volta à Rua Baronesa (e ao ponto final da caminhada), junto ao característico amontoado comercial e de uns pequenos jardinzinhos, o destaque fica por conta da hoje Igreja Universal do Reino de Deus, onde até a década de 80 funcionou o Cine Baronesa, outro cinema de rua de grande importância desta área da Zona Oeste e que, infelizmente, não existe mais.

Rua Baronesa e a Igreja Universal
A Rua Baronesa, com destaque para a Igreja Universal do Reino de Deus, onde funcionou o Cine Baronesa


Mas é desta forma que a cidade segue, com perdas e ganhos, adaptando-se às necessidades da geração vigente, renovando-se sempre. Que os próximos tempos sejam melhores e, assim, desta forma, possamos receber mais e mais coisas boas para o nosso espaço urbano – seja resgatando aquelas antigas e nostálgicas, seja evoluindo conforme a tecnologia dessa nossa época moderna. Afinal, isso tudo é história. E histórias merecem ser repaginadas sempre, para termos o que contar no final. Um abraço!

FONTES DE PESQUISA

-- Site do jornalista e escritor Waldemar S. Costa sobre Jacarepaguá, Bento Ribeiro, xadrez e futebol.
-- Site "O Melhor do Bairro"; seção sobre a Praça Seca
-- Site do INEPAC (Instituto Estadual do Patrimônio Cultural)


Gostou deste post? Deixe a sua opinião!

20 comentários:

Anônimo disse...

Pedro
Foi muito bom rever, ainda que completamente desfigurada, a fachada do Cine Baronesa, reduto dos cinéfilos dos anos 50, 60 e 70.
Eldo

Carlinha disse...

Mais um cinema que vira Igreja Universal né...é quase regra!

Mas vc reparou que 'cone de cimento' da estatua é um latão de lixo recoberto por cimento? rs
Repare só...

Tenho uma amiga da faculdade que estuda a Praça Seca, vou passar seu blog pra ela! ;)
Adorei o post novamente!
beijos!

ju peres disse...

rs... bem, oq a carla não sabe eh q houve uma recente reforma do no chafariz, oq incluiu uma base mais digna à estátua. sinceramente eu achei uma estupidez reformar o chafariz... em tempos de dengue como esses. foi algo realmente inútil, pois ele nunca está ligado.sem contar que, restauraram a praça, mas não as calçadas (aquelas da subprefeitura edo banco do brasil).
vc observou bem uma coisa que gosto mto... AS ÁRVORES!
pra mim é oq há de mais bonito ali...
o resto ficou pra trás msmo... como os casarões antigos, todos com msmo estilo arquitetonico... todos demolidos...idiotice!
ai q raiva q me dá!
mas eh isso... a cidade é mutante!

PARABÉNS pelo blog!
quem em dera ter um blog tão útil e inteligente como o teu... mas minha inteligencia anda desinspirada.rs

SUCESSO!
;)

ps:eu sou a tal amiga da carla

Pedro Paulo Bastos disse...

Oi Ju!
A Praça Seca era um bairro nobre ali naquela região de Jacarepaguá/Madureira. As casas das ruas internas se vê que são bem amplas e espaçosas, inclusive tem uma rua ali na Cândido Benício chamada Guaporanga que, uau, que casas bonitas! Elas se sobressaem a beça em meio a uma paisagem decadente e mal conservada, como a dos muros pichados, calçadas quebradas e por aí vai.
Valeu pela visita!! e obrigado!
beijo!

ju peres disse...

sim, é verdade!
inclusive a minha igreja começou num dos casarões da rua barão...
uns anos dps, demoliram pra construir o edifícial atual da igreja...
se soubessem a raiva que eu sinto por causa disso, eu seria excomungada rsrsrsrs...
minha visita será constante aqui!
^^

visite meu blog também (não é muito util, mas provoca alguns risos...)
bjO

" SemCensura" disse...

Olá, vi que me seguiu no blogg e vim aqui ver, e gostei daqui, a ideia do blogg é muito legal e criativa
parabens, e sucesso
bjssss =)

Anônimo disse...

Gostei muito, estava querendo conhecer a Praça Seca, nem sabia que o nome hoje é Barão da Taquara! É bonitinha, se dessem uma melhorada nela ficava uma graça! Bom trabalho o seu, me fez conhecer um local do qual tinha muita curiosidade...Parabens a vc, amigo.Continue fotografando locais como esse, a cidade tem muita coisa interessante.Meu nome é Soledade, moro em Niteroi.

Anônimo disse...

então dá uma viajada na história da praça barão da taquera http://www.wsc.jor.br/jacarepagua/6.htm

Anônimo disse...

Olá.
Sou moradora do bairro e mesmo tendo apenas 17 anos, sei que é um bairro histórico e que a classe média era predominante. Atualmente, há pessoas de classe baixa em maior quantidade, até mesmo pelo crescimento da favelização.
Acho que a Praça Seca é um bairro trânquilo, apesar do grande movimento de automóveis e pessoas que vc citou. Mas deveriam ser realizadas mais reformas pois o bairro está precisando.

Antonio Simoes disse...

Maravilha,fiquei emocionado,estudei ai na praça a muitos anos no Ginasio Sobral Pinto.Deixei ficar,nessa praça, muitos amigos de infancia:Denise Maia,José Luiz Santiago,Nanci Dantas,Nanci soeiroJupira,Sulamita.Agora vivo em Portugal se o tempo voltase pra traz...Oportugues.

Anônimo disse...

Valeu pelas fotos e texto. Que saudades! Nasci, cresci, estudei e morei quase 20 anos na praca seca. Agora vivo em Michigan, EUA. Momentos saudodos...

Alex Alfinito

Anônimo disse...

é muito triste ver que a juventude hoje não preza por seus patrimônis históricos. a praça seca é linda, e deveria receber uma reforma. eu apoiaria sem problemas

Anônimo disse...

tenho 23 anos e sempre morei na Praça Seca. Gostei muito de ter conhecido um pouco mais da história do bairro. está de parabéns. Sobre o chafariz, nunca vi ligado nesses 23 anos, mas acredito que já tenha sido ligado pouquíssimas vezes. sobre reformas no bairro, atualmente a prefeitura está com uma obra do Bairro "Maravilha", grande parte das ruas estão sendo re-asfaltadas e as calçadas estão sendo refeitas, há também a implantação de ciclovias e promessa de melhora na iluminação do bairro. Na praça especificamente não vi ainda nenhuma melhoria, mas quem sabe, não acontece... Valeu!

jair souza cardoso disse...

MINHA LINDA PRACA SECA..CONVIVI DEZOITOS ANOS.DECDA DE 70.FICAVA SEMPRE NA FRENTE DO CINE BARONESA COM A GALERA.VENDO AS MINAS PASSAREM.OS PAPOS/ASSUNTOS ROLAVAM ATE DE MADRUGADA....SOU DO TEMPO DO SETE CAVEIRA.AMILCAR.VARETA.PAULINHO COPACABA/ALFA..ESTELIO.QUERIDO.UMA GALERA SEM FIM..RUI/CARLINHOS DA RUA DR.BERNADINO..DA ROSE..IRMA DA CECINHA..ANGELA CABELO..TODOS ME CONHECIAM COMO INDIO/DA PRASECA OU MATO ALTO..MAS AGORA MORO NO SUL..E VENDO ESTA RELIQUIAS..SO ME FAZ BEM..OGRIGADO/AMIGOS.OBRIGADO PRACA SECA/JACAREPAGUA..
indio/pracaseca/jacarepagua/1970

jair souza cardoso disse...

MINHA LINDA PRACA SECA..CONVIVI DEZOITOS ANOS.DECDA DE 70.FICAVA SEMPRE NA FRENTE DO CINE BARONESA COM A GALERA.VENDO AS MINAS PASSAREM.OS PAPOS/ASSUNTOS ROLAVAM ATE DE MADRUGADA....SOU DO TEMPO DO SETE CAVEIRA.AMILCAR.VARETA.PAULINHO COPACABA/ALFA..ESTELIO.QUERIDO.UMA GALERA SEM FIM..RUI/CARLINHOS DA RUA DR.BERNADINO..DA ROSE..IRMA DA CECINHA..ANGELA CABELO..TODOS ME CONHECIAM COMO INDIO/DA PRASECA OU MATO ALTO..MAS AGORA MORO NO SUL..E VENDO ESTA RELIQUIAS..SO ME FAZ BEM..OGRIGADO/AMIGOS.OBRIGADO PRACA SECA/JACAREPAGUA..
indio/pracaseca/jacarepagua/1970

Pedro Paulo Bastos disse...

Fico muito feliz que depois de quase dois anos após a publicação deste post, ele ainda seja bastante popular no site. Percebo que a Praça Seca tem, sim, uma importância para quem vive ou viveu no Rio de hoje ou de ontem. Obrigado a todos os comentários! Compartilho com vocês esta nostalgia.

RUSSODAALBANO disse...

fiquei contente com os escritos sobre a praça seca ,sou morador a 13 anos e suas importancia para o nosso bairro

carlos vitor disse...

Queria contribuir com o post mostrando as fotos que tirei no dia 28/09/2012 na Praça Seca. O grupo de teatro Tá na Rua, comandado por Amir Haddad fez uma apresentação ao lado do coreto, sensacional.

http://noticiasriobrasil.com.br/?p=363

Abraços e parabéns pelo blog

Anônimo disse...

Olá, eu gostaria de contribuir com o Blog em um dado importante, a praça barão da taquara fica na praça seca. Praça Seca não é uma praça e sim o nome do bairro.
A praça que fica no centro do bairro é e sempre foi Barão da Taquara, em homenagem ao próprio assim como os nomes das ruas de jacarepaguá são batizadas com nomes de famílias com determinado valor histórico para a região.

Anônimo disse...

Gostei muito do seu post e como ele já é antigo, acho que podia ser atualizado. A prefeitura está fazendo obras para a Transcarioca e retirou quase todas as árvores, além de demolir muitas casas. São obras de reurbanização que a Praça Seca estava precisando, porém falta senso. Derrubar todas as árvores centenárias que aqui viviam foi no mínimo desrespeito.