14.7.09

Nos fundos do Baixo Gávea

As antigas escolas operárias na Praça Santos Dumont, hoje colégios municipais

O bairro da Gávea, na Zona Sul do Rio, pode ser considerado um lugar privilegiado: encurralado entre o Maciço da Tijuca e a Lagoa Rodrigo de Freitas, a região é um pólo de cultura e de gastronomia, além de manter viva a história da cidade através de suas ruas com a preservação de casas unifamiliares, uma vez que estas estão sumindo cada vez mais da Zona Sul para dar lugar a modernos e grandiosos edifícios comerciais e residenciais. A região exata onde fotografei – com grande número de casas, por sinal – fica nos fundos da Praça Santos Dumont. Ela é mais conhecida por Baixo Gávea pelos boêmios, ou por Praça do Jóquei pelos mais pragmáticos. Diferentemente de como costumo fazer, registrando fotos de apenas uma rua completa, desta vez eu fotografei um quarteirão, compreendido pela praça e as ruas Orsina da Fonseca, Major Rubens Vaz, José Roberto de Macedo Soares e dos Oitis.

A Rua Orsina da Fonseca possui poucos imóveis, sendo dois deles tombados pelo Patrimônio Histórico do Rio de Janeiro: as escolas municipais Manoel Cícero e Júlio de Castilhos. Localizadas uma em cada esquina da rua com a Praça Santos Dumont, elas foram construídas como escolas da vila operária que existia neste local do bairro da Gávea. Os imóveis funcionavam em conjunto na época da construção, na década de 20, abrigando ali a “Escola Profissional Feminina”. A conservação do imóvel, no entanto, deixa a desejar, como se pode ver nas fotos. Sendo Patrimônio Histórico da cidade, ambas as fachadas mereciam uma nova pintura, embora a ação dos pichadores contribua ainda mais com a deteriorização não só das escolas, mas como do mobiliário urbano da via também.

Minúscula e fechada ao trânsito, a Rua Orsina da Fonseca parece mais um pátio dos colégios que a cercam do que uma rua. Árvores e bancos foram instalados ao longo da via, até o seu término onde há uma casa, na esquina com a Rua Major Rubens Vaz, bem em frente ao murão colorido da sub-estação da Light.

A parede grafitada da sub-estação da Light
Casario na Rua Major Rubens Vaz

Rua José Roberto de M. Soares
Já na Rua Major Rubens Vaz, no trecho entre as ruas Orsina da Fonseca e José Roberto de Macedo Soares, casas e prédios de pequeno porte se alternam com árvores e canteiros com o cheiro de terra molhada e o vento gélido proveniente da floresta do Maciço da Tijuca, logo ali ao lado. Os dias frios e chuvosos no Rio – como tem sido nessa temporada de inverno – são bons nesse sentido, de proporcionarem as mais gostosas sensações relacionadas às cidades serranas e frias. E neste trecho do bairro, o inverno acentua ainda mais o agradável frescor que tanto destoa do nosso Rio de Janeiro extremamente calorento e abafado. Um privilégio para os moradores da Gávea e uma lástima para as fotos, que se restringem apenas à visão, e não a todos os outros sentidos captados à rua naquele momento.

Neste pedaço, as instalações modernas da filial da Escola Nova diferem da parede grafitada ao lado, pertencente à sub-estação de energia da Light. Logo em frente, há a filial do curso de inglês Britannia Juniors, em um imóvel azul-claro com as bordas das janelas em amarelo bastante simpático. Outra característica marcante desta rua são as casas. Embora estejam situadas em um lugar bastante valorizado, são casas e sobrados antigos, alguns bem-cuidados e bonitos e outros nem tanto.

Saindo da Major Rubens Vaz e entrando na Rua José Roberto de Macedo Soares, o que salta aos olhos, de fato, é o charmoso e moderno imóvel onde funciona a Galeria de Arte Anita Schwartz. Localizada no número 30 da rua, o estabelecimento apresenta exposições de arte, sala de vídeo e é totalmente adaptado para deficientes físicos. Além disso, o que impressiona também é o caráter religioso deste trecho da rua. O porquê? De um lado, há uma unidade da Instituição Religiosa Perfect Liberty, e, exatamente em frente, a Igreja Batista da Gávea.

Esquina da Major Rubens Vaz com José Roberto de Macedo Soares

O restaurante Guimas

Em direção à Rua dos Oitis, o movimento comercial na José Roberto de Macedo Soares vai crescendo e as casas se mostram mais requintadas do que àquelas vistas nos trechos anteriores da Major Rubens Vaz e Orsina da Fonseca. Prédios de baixo porte passam também a dividir espaço com restaurantes, entre eles, o Guimas, tradicionalíssimo na Gávea. Famoso pelo seu couvert – onde o próprio cliente escolhe o tipo de pão a ser consumido --, a fachada do restaurante é bastante graciosa, com flores e garçons de madeira em sua entrada. Logo ao lado do Guimas, segue-se o Menininha, uma loja de doces bastante discreta, mais conhecida pelo seu brigadeiro no copinho; e, por último, a Pe’ahi Temakeria, ao lado de uma loja de produtos para animais.

O pequeno trecho da Rua dos Oitis entre a Rua José Roberto de Macedo Soares e a Praça Santos Dumont pode ser considerado o pedaço mais badalado e concorrido do Baixo Gávea: de um lado, o Bar e Restaurante Hipódromo e, do outro, o Braseiro da Gávea. Concorridíssimos, principalmente às quintas-feiras e aos domingos, o local, boêmio, é um dos pontos mais badalados do Rio, sendo o Braseiro da Gávea eleito cinco vezes, pela revista Veja Rio, como o melhor lugar para azaração.

Casa da Gávea, junto ao Braseiro

Em cima do Braseiro da Gávea funciona a Casa da Gávea, local voltado para atividades culturais como estudos, debates e apresentações relacionadas à arte e cultura, além da produção de espetáculos teatrais, exposições, edições de livro, entre outros. O local contém biblioteca, estúdio de som, roteiroteca, videoteca e um banco de textos teatrais com espaço para representações experimentais, tendo capacidade para 80 pessoas.

Finalizando, o trecho da Praça Santos Dumont entre as ruas dos Oitis e Orsina da Fonseca apresenta alguns prédios residenciais e lojas de pequeno porte, como um armarinho e uma academia de ginástica, com entrada sóbria. O movimento mesmo fica por conta das babás vestidas rigorosamente de branco e suas respectivas crianças em direção aos jardins da praça, assim como da bagunça e falatório dos jovens, na saída das escolas municipais citados no início deste post. Ah, e o Cristo, lá em cima, olhando-nos a todos de braços abertos!

Texto revisado em 09/04/2014

8 comentários:

Guilherme disse...

Tá top demais o blog! Não vejo a hora de ver essas ruas ao vivo! ehehe!
abraçao pedron!

NikThiago disse...

cara, parabéns pelo trabalho!!

tomara q vc continue c o trabalho!!

Ana Paula Ballestero disse...

NOSSA!
Demais esse trabalho! Conhecer as ruas de um ponto de vista que muitas vezes ignoramos.
Fiquei ainda mais fã de fotografia!
Parabéns!

Cris disse...

Puts, já havia até me esquecido que fiz um curso de roteiro na casa da gavea e tb nao me lembrava que ela está sobre o Braseiro da Gávea. Só me lembro daquela porta apertadinha ali ao lado.

Olha,a citação à Veja Rio foi muito engraçada kkkk

bjao!

amiga disse...

Amei o teu trabalho ,e aproveito para convidar a todos para conhecer a nossa IGREJA BATISTA DA GÁVEA, ela fica aberta todos os dias das 17:00 as 20:00 e estamos com um projeto maravilhoso q é o Leia ,um curso de aprendizado e aperfeiçoamento a leitura ,eo Celebrasom q é um curso de musicas com varios instrumentos se vc conhece alguem ou eteja interessado contate nos na propria igreja. Mais informações (35798947) abraços ps/viviane ...

Anônimo disse...

Oi:

Concordo com os comentários anteriores... Bonito o blog mesmo!
o encontrei ao procurar por uma rua do bairro GÁVEA: a Major Rubens Vaz; uam rua hiper bacana - além do bairro em si ser interessante também.
Também sou do Rio, só que resido na capital gaúcha desde 1995: sei que lá para cá a cidade mudou...
Lembro que existe um prédio junto ao BAIXO GÁVEA que eu querir muito morar (acho que ainda tal edifício deva existir!).

Saudações CARIÚCHAS,
Rodrigo O. Rosa

http://rodrigo-arte.blogspot.com/

Anônimo disse...

Oi, boa noite!

Parabéns pelo blog gostei muito, o post sobre a Gávea – RJ esta bem explicado, estava horas procurando algo sobre o bar e restaurante Hipódromo e o bar Braseiro... Encontrei aqui completo. Obrigaduuu... Pra ficar perfeito só precisava saber o edifício que o ator Bruno Mazzeo mora rss brincadeirinha, bom, mas se souber eu ficarei mais feliz...

Boa semana! ;-)

Raquel - Brasília

Anônimo disse...

PARABÉNS PELA MATÉRIA.GOSTARIA MUITO DE VER ATRAVÉS DE FOTOS AS CASAS NA RUA MAJOR RUBENS VAZ, 64 ONDE FOI FILMADA A NOVELA ANJO MAU DA DÉCADA DE 70.PELO QUE VI NA BELA MATÉRIA AS CASAS ESTÃO SENDO SUBSTITUIDAS POR PRÉDIOS.